Não se pode ter medo do amor - Entre Sujeitos e Verbos

09/07/2013

Não se pode ter medo do amor


Você é uma boa pessoa. Só teve o coração partido. E quando isso acontece, é preciso tempo. Por mais clichê que isso possa parecer, o tempo cura tudo. Ou, pelo menos, ameniza bastante até que seja possível conviver com a cicatriz que tenha ficado, porque elas acabam fazendo parte da gente. Você precisa saber que, às vezes, o amor machuca. Mas, na verdade, não é ele quem machuca. O amor cura, revigora, dá um novo tom ao que antes parecia sem graça. Então, permita-se. Vá com calma, tudo bem, até sentir-se seguro de novo. Se tiver medo, pare. Segure a mão de alguém quando estiver escuro. E vá. Deixe que o vento do amor te leve pras nuvens quando estiver pronto de novo. Mantenha os pés no chão. A razão tenta proteger da queda, caso ela venha. Mas permita-se sentir. Poucas pessoas têm a chance de viver algo grandioso e, se for esse o seu caso, não deixe isso se perder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga no Facebook

Siga no Instagram

A partir do dia 03/08/2013, as fotos são de autoria do autor do post, quando não indicado o contrário.
Antes dessa data, as fotos utilizadas aqui no blog foram encontradas na internet, quando não indicado o contrário. Se você é ou conhece o autor, informe nos comentários e colocarei os devidos créditos :)