A dor precisa ser sentida - Entre Sujeitos e Verbos

03/10/2013

A dor precisa ser sentida

http://www.just-carol.com/

"Esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida" (John Green - A Culpa é das Estrelas)

Não tem jeito. Uma hora cansa todo mundo dizendo que é hora de seguir em frente. Você não quer seguir em frente. Pelo menos, não por enquanto. Você quer se aprofundar no que tá sentindo. E você sente dor. E estou falando de todos os tipos de dores. A dor da decepção, a dor do esquecimento, a dor da saudade, a dor da espera, a dor do medo, a dor de ter batido o dedinho do pé na mesa. No momento, a dor precisa ser sentida. Para algumas pessoas é preciso chorar, gritar, tentar entender o por quê. Então é isso o que você faz.

Você chora pela dor da perda, que vem acompanhada do medo do esquecimento. Porque o esquecimento está ligado a falta, que está ligada a perda, e aí morre a esperança. A sensação de que tudo o que foi vivido está sendo apagado aos poucos e parece injusto deixar que boas lembranças sejam apagadas. Então você alimenta aquelas lembranças. Mas o tempo vai modificando-as aos poucos. Mesmo você querendo que aquilo não aconteça. Porque você tem medo. Medo de esquecer e de criar novas lembranças. Porque parece injusto deixar pra trás aquelas que tanto te fizeram feliz e partir em busca de novas.

Não acho que devemos deixar boas lembranças pra trás. Não deixe. Guarde-as num local seguro. Mas com a certeza de agora serão apenas lembranças. Não serão momentos de novo. Até aceitarmos isso, dói mais um pouco. E a gente não quer, a gente esperneia, chora, diz que não, não e não. A dor precisa ser sentida. Mas não pra sempre.

Chega um momento que chorar cansa. Não dá mais pra ficar esperando por algo que você sabe que não vai voltar. Às vezes, você soube disso desde o início, mas só agora caiu no entendimento. E você percebe que é hora de seguir. Não que pare de doer de uma hora pra outra. Mas que você se acostuma com a dor, que vai diminuindo aos poucos, até que ela seja mais uma lembrança, mais uma experiência. E talvez você ainda sinta a mesma dor muitas outras vezes, talvez menor, talvez mais forte. E cada vez que você sentir isso, é preciso saber que uma hora passa. Mesmo que no momento pareça impossível. Não é.

Então você segue. E percebe que ainda há tanta coisa que você pode fazer. Por você. Pelos outros. E você se aproxima de si mesmo, e descobre tanta coisa, e tanta felicidade. E percebe que a dor valeu a pena, no fim das contas. Porque ela também nos ensina muita coisa.

Então, sinta a dor o quanto for necessário. Mas não tenha medo de deixá-la ir quando for a hora. 

2 comentários:

  1. Caramba Michelle! Escreveu esse texto pensando em mim?! rs'
    Muito eu... Quando perdi minha mãe fiquei me sentindo exatamente desse jeito ai! Amei muito seu texto e continue a escrever pois agora virei fã deles!
    Beijos Da Nathy!
    http://meumundoeaassim.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Nathy! Fico realmente feliz toda vez que vejo as pessoas comentarem o quanto meus textos mexem com os sentimentos delas :)

      Excluir

Siga no Facebook

Siga no Instagram

A partir do dia 03/08/2013, as fotos são de autoria do autor do post, quando não indicado o contrário.
Antes dessa data, as fotos utilizadas aqui no blog foram encontradas na internet, quando não indicado o contrário. Se você é ou conhece o autor, informe nos comentários e colocarei os devidos créditos :)